Buscar

Quarta 27 Setembro 2017

Noticias Urgentes

28/04/2013 00:00

Sônia Inês Vendrame

O prefeito, o sindicalista e os 2%

No sábado, horas antes de os servidores decidirem recusar a proposta de reajuste encaminhada pelo prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira (PSB),  fui  testemunha de uma cena e fala que agora, após receber o release (matéria do Sismufi) parecem não ter sentido algum.

Reni Pereira estava no estúdio da rádio Cultura acompanhado do diretor da GM, Cleumar Farias do diretor do Fozhabita , Waldir Griten do apresentador do programa, Galhardo  e de um senhor sentado no sofá que não sei quem era e de dois sindicalistas.

Os dois sindicalistas haviam sido convidados para divulgar o sorteio de prêmios no dia do trabalhador.  Animado, um deles explicava que ao doar um quilo de alimento á pessoa concorre a prêmios no dia primeiro de maio, dia do trabalhador. O palco do evento será a praça da bíblia em Foz.

Até então tudo parecia ser assim mesmo até que o apresentador Galhardo passa para novo assunto do Programa Realidade e diz: Olha prefeito também essa semana o senhor foi o autor do envio da proposta de reajuste real de 2% aos servidores.

Ali, sentado o prefeito escrevia em uma folha recados que creio seriam lembretes para seguir o programa de duas horas de duração. Assim que convocado Pereira diz:

— Sim é verdade!

Abaixa os olhos e segue traçando estratégias no papel. O apresentador então evoca o servidor o sindicalista que era só alegria e inquere:

— Então pela primeira vez temos um prefeito que oferece reajuste real. De fato e o que não acontecia havia pelo menos 10 anos não é?

Sentindo-se integrado ao tema o sindicalista curitibano ajeita-se na cadeira, invoca a proximidade do microfone e meio sentado de lado responde:

— Olha Galhardo quero confessar que para mim isso é novidade. Essa notícia tenho de levar para a Categoria de Curitiba, fazer com que eles saibam que aqui em Foz há um diálogo diferente, um novo modo de negociar...

A medida que o sindicalista listava seu contentamento o Prefeito reduzia a rapidez da ‘escrita’ e parecia que pela primeira vez via de foto o rapaz do outro lado da mesa. Este sentindo-se protegido pela atenção seguiu acelerado em busca de exemplos.

— Olha até agora só sabia do aumento real na conta da luz, na conta da água que todo final de mês eles reajustam de acordo com o gasto que tiverem. Agora reajuste real de 20% em salário somente aqui em Foz...

Ele seguia sob o olhar iluminado do Prefeito que ao fim tornou a atenção a folhinha encima da mesa. Cumprindo o papel de apresentador locutor Galhardo chama para a roda o segundo senhor sindicalista que sorvia o terceiro cafezinho da manhã. Este abre a fala assim:

— Não queria pronunciar-me sobre isso mas diante disso creio que...

Daquele momento em diante eu deixo de prestar a atenção no “dito” e concentro-me no “não dito” que era a mudez do prefeito diante de tanta badalação.

Repito esse diálogo não parece fazer sentido agora: Se o programa tem como nome Realidade e se pela primeira vez na história dos quase 100 anos emancipação algo assim é oferecido, parece difícil de aceitar a resposta dos servidores.  Mas creio que tarefa mais difícil será a de imaginar o que esta pensando aquele sindicalista sobre os colegas iguaçuenses...o resto é só um conto.

Sou a Sônia Inês Vendrame - jornalista, professora e editora do afronteira.com

Comentários

Comentar

{ Últimas Participações

©2010-2011 - A Fronteira - Todos os direitos reservados.